O grupo de amigos e colegas de escola começaram a descobrir a sua ligação e o amor pela música no ano de 2014.

Sem qualquer experiência no mundo musical, Don-Gui, Rodezzy, Pauluba, Ludy YK, Lukas Rosa, Lukeny Ferreira e Dji Mulla, que já eram amigos, decidiram criar o grupo Filii Dei. O nome tem origem no latim, que traduzido em português significa filhos de Deus.

Todos os membros do conjunto vivem na mesma zona da Praia do Bispo, em Luanda. A frequência com que se fechavam no estúdio levou a que a música deixasse de ser só um hobby, passando a figurar no topo das suas prioridades..

Antes da sua união oficial como grupo, alguns elementos  já tinham um historial e bagagem na estrada do rap.

Pauluba já fazia freestyle na sua zona e no colégio, em rodas organizadas, onde também participavam artistas de destaque da nova escola como Xuxu Bower ou  Kelson Most Wanted.

Rodezzy cresceu numa zona onde o rap sempre foi a arte do momento desde os seus 11 ou 12 anos. Nessa altura também edtava bastante ativo no freestyle.

Ludy YK desde cedo que convive com a música mas de uma forma amadora. Em sua casa, o volume da música estava sempre quase no máximo, o que se tornava aborrecido. Entretanto, aos nove anos, rapper descobriu a rima e a música passou a ter outra importância.

DJ Don-Gui já captava vários artistas antes, até que começou a produzir e a cativar a atenção da maioria dos elementos, passando então a integrar o grupo. 

Dji Mulla, Lukas Rosa e Lukeny Ferreira começaram a cantar já depois de integrarem o grupo.

O grupo tenta se diferenciar na nova escola  seguindo a sua intuição e experiência das suas carreira a solo, livre de qualquer peso de tentar fazer diferente e sempre a pensar em dar o melhor e querendo melhorar em cada música

No seu repertório encontramos uma EP Filii Dei e a mixtape Cara ou Coroa, disponível no SoundCloud desde o dia 23 de Janeiro de 2019 e que conta com as participações de Johnny BOB e Young Dueezy

”Sentimos que a maior parte dos artistas da nova escola têm dado conta do recado. Dizer que não está a evoluir seria hipocrisia, hoje os artistas da nova escola já são levados mais a sério pela imprensa e é fruto desta evolução.”

Na lista de participações, se possível a acontecer num futuro próximo, o grupo espera dividir o estúdio com Yola Semedo, Matias Damásio, Nagrelha e Kyaku Kadaff.