O Banco de Moçambique criou uma incubadora de empresas dedicadas à inclusão financeira com recurso a tecnologias de informação, num projeto apoiado pela Suécia e Reino Unido.

O projeto é uma das primeiras incubadoras deste tipo de ideias “a ser estabelecida dentro de um banco central e é relevante por criar um ambiente propício para a expansão dos serviços financeiros com a finalidade de servir a pessoas excluídas”, refere o Banco de Moçambique em comunicado.

Numa primeira fase, a iniciativa irá beneficiar empresas previamente selecionadas, sendo escolhidas através de um processo competitivo nas fases posteriores.

As aplicações a desenvolver deverão facilitar o acesso a formas de pagamento, remessas e criação de poupanças.

“O projeto permitirá promover a inovação no setor financeiro à medida que as soluções forem testadas, em ambiente supervisionado, antes do lançamento no mercado para os consumidores finais”, acrescenta.

A parcela de população adulta de Moçambique com conta bancária ronda os 36%, segundo o boletim estatístico do Banco de Moçambique publicado em junho de 2017.

O boletim refere que as contas só de moeda eletrónica – por exemplo, associadas a telemóveis – são mais populares e já chegam a 44% da população adulta.