Os prémios BET foram criados pela Black Entertainment Television, em 2001, com o objetivo de destacar os melhores artistas afro-americanos da música, atuação, desporto, entre outras áreas do entretenimento. Este ano, Angola e Portugal marcam presença no evento, com a nomeação de IAMDDB, uma rapper portuguesa, de origens angolanas, e a viver em Inglaterra desde os cinco anos.

Entre o neo-soul, jazz e trap, IAMDDB, sigla para “sou Diana de Brito”, imprime na sua música a sua loucura e experiência de vida. Filha do saxofonista Manuel de Brito, a rapper está na ribalta do mundo da música há apenas um ano e meio, desde que lançou Waeveybby Vol. 1 e Vibe Vol, no início de 2017. 2. Nestes dois EPs, IAMDD destila um Rn’b moderno e alternativo, que é uma reminiscência dos mundos de Erykah Badu, Lianne la Havas ou Jorja Smith. Contudo, foi Hoodrich Vol 3, revelado alguns meses depois, que lhe permitiu chegar a um público mais amplo.

Com o título “Shade”, a terceira faixa do EP Hoodrich Vol 3, Diana oferece-nos um poderoso hino ao feminismo, onde explora toda a sua essência artística, a pender mais para o trap do que para o Rn’b.

A artista classifica a sua música como jazz urbano e indica que as suas inspirações flutuam entre Bob Marley e John Legend.

Foi numa viagem a Angola que IAMDDB que se reencontrou com as suas raízes e pode adoçar a sua vibe neo-soul com. A artista vê assim o eclodir da sua recente carreira musical com a nomeação ao prémio de Melhor Artista Revelação Internacional nos BET Awards.

Para votar, clica em AQUI.