Laëtitia Kandolo é uma designer nascida no Congo, que viveu em Paris e que já trabalhou para grandes nomes do showbizz como Kanye West, Rihanna JAY-Z e Beyoncé. Kandolo, além da criatividade, rompe estereótipos e ajuda a criar empregos na cidade de Kinshasa.

Depois de pensar em se aventurar na fotografia, engenharia de som e, eventualmente, no desenvolvimento de produto, Laëtitia Kandolo descobriu que a moda é a sua verdadeira vocação. Agora, na sua luxuosa lista de clientes, encontramos nomes como Kanye West, Jay Z, Beyonce e Rihanna.

Kandolo trabalhou como stylist em várias digressões de renome mundial, incluindo ‘Watch the Throne’ de Kanye West, ‘ANTI’ de Rihanna, ‘Rebel Heart’ de Madonna, bem como ‘All I Want For Christmas Is You’ de Mariah Carey. O seu trabalho abrange tanto estilo, como direção editorial e criativa.

E não descurando as suas origens, a influência da designer é sobretudo africana. A sua primeira coleção de moda, a UCHAWI, é uma prova dos padrões e cores que lembram a cultura e as tradições de Kinshasa, a maior cidade da República Democrática do Congo.

De acordo com o Design Indaba, UCHAWI é constituída por peças femininas e masculinas. Acima do propósito comercial, a marca baseia-se pelos objetivos de desenvolvimento sustentável estabelecidos pelas Nações Unidas e quer também ter um papel ativo socialmente, criando oportunidades de emprego em Kinshasa, que devido à história recente do país e à falta de infraestrutura, essas oportunidades são escassas.

“Temos um relacionamento próximo com uma escola de moda para que possamos criar empregos depois dos alunos terminarem o curso. Isto serve para mostrar-lhes que a indústria da moda é maior do que pensam”, explica a empreendedora à publicação online. “Eu também acho que uma vez que dás emprego a uma mulher, estás a ajudar toda a família. As suas crianças vão para a escola, garantes que elas tenham comida e que sejam minimamente saudáveis. Isto não são apenas roupas para mim, mas emprego. Este é um dos maiores problemas em África. Precisamos de infraestruturas, não de caridade”.

As peças de Kandolo refletem os diferentes estilos de vida e estética presentes no Kinshasa de hoje. Da distribuição ao produto e à comunicação, Kandolo quer mostrar que existem novas maneiras de construir um negócio na África. “Quero mostrar essa outra África, sacudir os estereótipos. [É] uma história escrita por uma mulher africana. Precisamos de mais histórias sobre nós por nós”, disse citada pelo Design Indaba.

“É bonito ver como nós [designers africanos] falamos sobre o africanismo usando cores, tecidos, texturas diferentes … e como partilhamos a mesma luta: colocar África no mapa da moda”, acrescentou.