Fundada em 2011 pela nigeriana Omoyemi Akerele, através da agência Style House Files, a Lagos Fashion Week tem sido um dos principais eventos da moda africana desde há oito anos. Na edição de 2018, o evento aconteceu durante três dias, sob uma tenda gigante na Ilha Victoria, no final de outubro, mais de 50 criadores de toda se reunira para apresentar as suas últimas coleções.

E os melhores estilistas nigerianos estavam lá: Maki Oh, Mai Atafo ou Lisa Folawiyo, NKWO e novos designers como Demure de Deneke. Além dos criadores agora habitués do evento, como o senegalês Adama Paris, o marfinense Elias Kuama, a sul-africana MaXhosa by Laduma e muitos outros. Alguns criadores viajaram ainda de mais longe, como o Studio 189 em Nova Iorque, fundado pela atriz Rosario Dawson e a estilista Abrima Erwiah, que montaram a sede da marca no Gana e oferecem uma moda que promove o desenvolvimento sustentável.

 

Ver esta publicação no Instagram

 

Backstage fierce Wearing @maiatafo for the Dew collection by @bettyirabor Thank you so much #lagosfashionweek #heinekenlfw18 #lfdw2018

Uma publicação partilhada por Lilian O. (@lilianne_lyn) a

Mas foi a marca senegalesa Tongoro (até Beyoncé é fã) a mais expectantedesta Fashion Week, tal como o designer queniano Anyango Mnpinga, cujas criações com cortes delicados são trabalhadas num estilo que mistura o moderno e as tradições africanas. As coleções passaram do minimalista ao streetwear, passando pelas peças de saídas nocturnas.

“Nós tentamos educar as pessoas. Todo mundo vê emissões – brilho e glamour – mas não conceitos, especialmente num país como a Nigéria, onde não há milhões de empresas de manufatura “, disse Omoyemi Akerele, um ex-advogado. na revista Vogue.

Em Lagos,os estilistas africanos têm o vento a soprar nas suas direções

Deve ser dito que a Nigéria teve um ano excepcional, em termos de moda, com a presença em Lagos dos principais modelos. A ex-supermodelo Naomi Campbell esteve presente no evento em abril. Apaixonou-se pela mega cidade de vinte milhões de habitantes cujo ritmo implica uma criatividade do “adapta ou morre”. “Eu não queria sair de lá”, disse sobre sua estadia. “Acho que as pessoas estão a começar a ver o que temos”, disse Amaka Osakwe, diretor artístico da Maki Oh, uma das marcas mais conhecidas da África Ocidental, citada pela AFP. O destaque aconteceu no final de agosto, quando a primeira-ministra britânica Theresa May foi vista com uma peça do estilista nigeriano Emmy Kasbit.

 

Ver esta publicação no Instagram

 

Fresh off the Runway🌈✨ — Shop our STUDIO collection now online (link in bio) #Tongoro #MadeInAfrica #LagosFashionWeek

Uma publicação partilhada por Tongoro (@tongorostudio) a

Outro sucesso para o casal Akerele (Tokounro, marido de Omoyemi, é comercial e também ocupou o cargo de Presidente do Grupo), a marca Maybelline propriedade da L’Oréal, tornou-se patrocinadora da LFW, além da Heineken, que é um parceiro de longa data.

Artigo de Le Point Afrique