Portugal está na moda, assim como a música africana, desde o afro-house à kizomba e uns passos de funaná. O Funaná Is The New Grime, já nos dizia Dino D’Santiago. Mas perguntas tu, o que isso tem a ver com o título deste artigo? Já vais perceber.

Caso não saibas, Lisboa, cidade cosmopolita e nova coqueluche do turismo europeu, foi escolhida como destino de vida da grande Madonna, cantora, compositora, actriz, dançarina e produtora norte-americana. A artista é reconhecida pelo Guinness World Records como a artista musical feminina mais bem-sucedidada de todos os tempos, e também não era para menos, visto que já vendeu mais de 300 milhões de discos no mundo inteiro.

E, talvez mais pelas mãos de Dino D’Santiago, Madonna tem conhecido muito da cultura cabo-verdiana e tem se mostrado muito alegre com essa nova descoberta. Para além de cantar e conhecer o Fado pelos restaurantes de Alfama, Madonna esteve em estúdio com as Batukaderas de Cabo-Verde, como se pode ver na sua conta de Instagram… e a dançar.

Estão a ver aqueles momentos em que achamos muito improvável ou impossível algo acontecer? Pois é, este é um desses momentos, Madonna a curtir a vibe cabo-verdiana e a dançar “cu torno” (dança que se faz ao som do batuku tocado pelas Batukaderas).

Em forma de agradecimento e com a bandeira de Cabo Verde bem alta como pano de fundo, Madonna canta juntamente com Dino D’Santiago e as Batukaderas. Como a mesma disse com hashtags: é só alegria, música, novos amigos, e amen cause it’s a blessing.

A cantora já sabe sabe falar algumas palavras em português. E em crioulo? Sem djobi pa lado (sem olhar para o lado), foi a frase que a mesma proferiu. Tantas vezes dita pelos cabo-verdianos, a expressão quer dizer caminhar sempre em frente, sem medo de nada.

É bonito de se ver duas culturas completamente diferentes coabitarem, dando, quem sabe, início a novas sonoridades. Será que vem aí uma colaboração? Esperemos que sim.