Quem está na lida do rap em Portugal com certeza já ouviu falar de Luíz Vieira, ou do seu nome artístico MC Zuka. Se não conhece nenhum dos dois nomes… é porque anda (muito) distraído.

O rapper mudou-se para Portugal aos 16 anos vindo de Espírito Santo, Brasil, junto com a sua família, fixando residência no bairro do Catujal, Loures, arredores de Lisboa.

Apesar de já ter chegado a Portugal com o bichinho da música, foi em Portugal que começou a dar os seus primeiros passos no rap e no Hip-Hop. Tudo começou com freestyles, improvisos e sob influência do álbum Primeira Jornada, de Regula, lançado em 2002, que morava no mesmo bairro.

Passou pela crew Show No Love, com nomes como Hollywood, Short Size e Here’s Jonhhy, EL Loko e Rob Beats. Fez parte de inúmeros projetos como a mixtape Kara David, de Regula, Rusga: Diggin nos Arquivos, de Skunk aka Kacetado (2008), Incendiários, de Sir Scratch e Bob da Rage Sense (2009), Mike Phelps, de DJ Nelassassin aka Sr. Alfaiate (2010), 1 Vida só ka ta Tchiga, de Ghoya (2010), entre outros.

mc zuca
Rock In Rio | Foto:BANTUMEN/ Maju Reis

Este é um pequeno resumo obrigatório, para perceberes melhor a trajectória do MC no rap em português, caso só agora estejas a ouvir falar no nome de MC Zuka.

Este ano, MC Zuka voltou ao festival do Rock In Rio Lisboa, pela terceira vez consecutiva, desta vez a convite da dupla Supa Squad, numa altura em que deve estar a viver o momento mais alto da sua carreira. No evento, conseguimos falar com o artista que já não faz apenas rap, mas consegue transportar consigo as rimas para outros estilos como Dancehall, Kizomba, Afro ou para o Funk (estilo abraçado por outros destinos além Brasil).

Além de músico, MC Zuka também perpetua o seu nome como “writer” a escrever para outros artistas, como por exemplo o hit single ” Faz Gostoso”, interpretado pela sua conterrânea Blaya. Na entrevista que podes ver abaixo, Zuka também falou da sua participação no EP 3.2 de Sarissari Diniz, e dos convite que tem para ir a Angola.

O artista acredita que tem um público a crescer na sua terra natal, mas tem plena certeza que o seu bum é por terras lusitanas.