A coleção em tons primaveris de Ricardo Preto contrastou com as propostas mais ‘sombrias’ de David Ferreira e de Valentim Quaresma, na ‘passerelle’ montada do Pavilhão Carlos Lopes, no âmbito da 51.ª edição da ModaLisboa.

A coleção “Now” de Ricardo Preto foi a última a ser apresentada no segundo dia da 51.ª edição da ModaLisboa.

Para a primavera do próximo ano, Ricardo Preto apostou numa coleção “muito feminina”, que é “uma continuação das características da marca Ricardo Preto, que é um ‘effortless chic’ [algo como chique sem esforço, em português]”.

“Eu tento sempre que a mulher esteja sofisticada, mas ao mesmo tempo muito confortável. Como venho a insistir nisso há muitos anos, julgo que esta coleção foi o melhor que tenho feito até hoje”, referiu, no final do desfile.

Para criar as peças, Ricardo Preto inspira-se “sempre no presente e no futuro, no ritmo de vida” atual, na música que ouve, nos livros que lê e “sempre no atual”.

“Eu visto pessoas atuais. Não sou homem que leve o trabalho para grandes delírios, gosto de fantasia, mas o vestuário é uma coisa que pomos diariamente, uma coisa íntima, tenho imenso cuidado com os tecidos, é muito importante o toque”, defendeu.