As mulheres estiveram em destaque nos prémios norte-americanos de música Grammy ao vencerem no domingo, em Los Angeles, nas categorias de Melhor Álbum do Ano e de Melhor Jovem Artista, enquanto o ‘rap’ conquistou importantes troféus.
“Golden Hour”, de Kacey Musgraves, venceu o Melhor Álbum do Ano e Dua Lipa ganhou o prémio de Melhor Jovem Artista.

Childish Gambino foi o grande vencedor da noite, recebendo quatro prémios, incluindo Melhor Videoclipe e Melhor Desempenho Rap/Cantado.

Já Drake surpreendeu o mundo da música quando surgiu no palco para aceitar a distinção de Melhor Canção Rap. Drake, que raramente assiste a este tipo de cerimónias, foi premiado pelo seu grande sucesso, “God’s Plan”.

O rap vinha de um longo período de derrotas nos Grammy. A última vez que um rapper ganhou o Álbum do Ano foi em 2004, com “Outkast”, e poucos tinham vencido a distinção de Melhor Jovem Artista.

Cardi B fez história como a primeira artista a solo a ganhar o Melhor Álbum de Rap (Lauryn Hill venceu como membro do grupo Fugees nos Grammy de 1997).

A cerimónia de domingo em Los Angeles começou com um grupo de mulheres, que incluía Michelle Obama e Lady Gaga, a descreverem o papel da música nas suas vidas.

“A música nos permite ouvir um ao outro, a música nos mostra que é importante, cada história e cada voz, cada nota em cada música”, disse Michelle Obama, durante o Grammy Awards, prémios que têm sido regularmente acusados ​​de favorecer artistas brancos e homens, em detrimento de mulheres e minorias.

A abertura contrastou com os Grammy do ano passado, onde os desempenhos masculinos dominaram as nomeações e a única mulher a competir pelo prémio principal, Lorde, não chegou a pisar o palco.

Contudo, este ano, Gaga, Brandi Carlile e Kacey Musgraves ganharam três distinções cada.

Carlile ganhou três prémios na categoria Americana. Gaga também venceu três, incluindo o Melhor Desempenho Pop para Duo ou Grupo, uma vitória que dividiu com Bradley Cooper.

Gaga, agora nove vezes vencedora de um Grammy, ganhou o prémio de melhor performance a solo com “Joanne”, enquanto o sucesso “Shallow”, de “Assim Nasce Uma Estrela”, também foi distinguida, estando nomeada para um Óscar, já depois de arrecadar um Globo de Ouro.

Na música ‘country’, Musgraves ganhou o melhor álbum, com “Golden Hour”, melhor desempenho a solo, com “Butterflies”, e melhor música, com “Space Cowboy”.

Diana Ross foi aplaudida de pé quando surgiu no palco para tocar “Reach Out and Touch (Somebody’s Hand)” and “The Best Years of My Life”.

Ariana Grande venceu o seu primeiro Grammy, com “Sweetener”, na categoria de Melhor Álbum Pop.

LISTA COMPLETA DE VENCEDORES:
REGISTO DO ANO: This Is America de Childish Gambino
ALBUM DO ANO : Golden Hour de Kacey Musgraves
MÚSICA DO ANO, atribuida aos autores/compositores: Donald Glover (Childish Gambino) et Ludwig Goransson, This Is America
REVELAÇAO DO ANO: Dua Lipa
MELHOR VIDEOCLIPE: Childish Gambino, This Is America
MELHOR ALBUM DE RAP: Cardi B, Invasion Of Privacy
MELHOR ALBUM ROCK: Greta Van Fleet, From the Fires
MELHOR ALBUM POP: Ariana Grande, Sweetener
MELHOR DUO OU ATUAÇAO COLETIVA: Lady Gaga et Bradley Cooper, Shallow
MELHOR ALBUM DE MUSICA URBANA: The Carters (Jay-Z e Beyoncé), Everything Is Love
MELHOR ALBUM RNB: H.E.R., H.E.R.
MELHOR ALBUM MUSICA ALTERNATIVA: Beck, Colors
MELHOR ALBUM MUSICA DO MUNDO: Soweto Gospel Choir, Freedom