O filme cabo-verdiano “Os Dois Irmãos” estreia em Lisboa

O novo filme de Francisco Manso Os Dois Irmãos, baseada nas obras do escritor cabo-verdiano Germano Almeida, inspira-se numa história verídica que acontece depois da independência de Cabo Verde. A segunda produção do realizador português estreou-se esta sexta-feira, 18, em Portugal, no Cinema São Jorge, em Lisboa.

Distribuído em doze salas de cinema, a estreia de Os Dois Irmãos contou com a presença dos principais atores da trama, entre elas a intérprete de uma das personagens centrais do filme, Janeth Tavares, e várias individualidades de Cabo Verde e Portugal.

O realizador Francisco Manso disse à DW que o filme reúne condições para circular em festivais internacionais e junto das comunidades cabo-verdianas espalhadas pelo mundo.

Os Dois Irmãos surge depois de O Testamento do Senhor Napumoceno, de 1997, e é inspirado na obra literária do escritor cabo-verdiano, Germano Almeida, Prémio Camões em 2018. O argumento do filme dá-nos um enredo complexo e com um desfecho trágico que envolve um crime de honra. “É um tema forte para o qual também o cinema tem que olhar para ele”, , sublinha o realizador português.

“Uma temática que não acontece apenas em países mais ao sul, embora na bacia do Mediterrâneo seja algo que é muito transversal estas questões da honra. Isto também tem a ver com o facto de em sociedades rurais, comunidades pequenas e mais fechadas, tudo ganha uma dimensão enorme”.

O realizador explicou ainda que o interessante neste projeto é ter sido uma aposta séria do Ministério da Cultura e das Indústrias Criativas de Cabo Verde e de uma produtora português, a TAKE 2000, de José Mazeda.