Chegou ao fim mais uma época regular da NFL. Estamos a entrar nos playoffs, o que significa que falta cerca de um mês para o futebol americano “hibernar”. Vamos fazer um balanço do que se passou e (tentar) antecipar o que se poderá passar.

Playoff schedule

Esta fase regular teve três equipas a dominar mais de metade da temporada (Chiefs, Rams e Saints), mas acaba com um sentimento de que qualquer equipa das doze que ainda estão em prova pode levar o troféu para casa.

Drew Brees

Começando desta vez pela NFC, Saints e Rams conquistaram os dois primeiros lugares da conferência, beneficiam de uma semana de descanso, mas já viveram momentos de maior fulgor. Além disso, ambas foram derrotadas por equipas que podem encontrar na ronda Divisional, os Saints em Dallas e os Rams em Chicago.

Sendo que agora têm o factor casa, são resultados (e exibições) preocupantes. Tanto a equipa de New Orleans como a de Los Angeles têm sido máquinas de fazer pontos, mas também concedem muitos. Em New Orleans, tem brilhado a alto nível a equipa Drew Brees, que está a fazer uma época notável, tendo conseguido nesta época o QB rate mais elevado da sua carreira (115.7) e o mais baixo número de intercepções (5).

Aaron Donald

Dos Los Angeles Rams esperava mais do lado defensivo da bola. Nem com Aaron Donald como forte candidato a Jogador Defensivo do Ano a hemorragia de pontos e jardas concedidas tem sido estancada. Quem apresenta uma defesa respeitável são os Chicago Bears que, por exemplo, limitaram este ataque dos Rams a 6 pontos na semana 14. Os Bears são uma equipa muito equilibrada, sendo a defesa que menos pontos concede (17.7 por jogo) e o nono melhor ataque (26.3 pontos por jogo). Matt Nagy, no seu primeiro ano como treinador principal, conseguiu reanimar o jogo dos Bears, que venceram a NFC Norte pela primeira vez desde 2010.

Nos playoffs da NFC temos ainda Dallas Cowboys, Seattle Seahawks e Philadelphia Eagles. Os campeões em título garantiram o apuramento para o torneio in extremis e partem para a fase decisiva novamente comandados por Nick Foles, o MVP do último SuperBowl, mas desta vez sem factor casa vão ter um caminho mais difícil a percorrer para chegarem ao bi. Esta época já perderam com Saints, Rams e duas vezes com os Cowboys.
Os Seahawks são para mim a maior surpresa nesta fase, pois esta seria na minha perspectiva uma época de transição entre a geração marcada pela Legion of Boom e a futura geração. Apesar de terem perdido por diversas razões Kam Chancellor, Michael Bennett e Richard Sherman, os Seahawks voltaram à fórmula ofensiva que lhes deu sucesso no passado: apostar no jogo em corrida para aliviar o peso nos ombros de Russell Wilson. E a fórmula tem resultado, com a equipa de Seattle a ser a melhor nesse aspecto. Com a defesa a manter um nível aceitável estes Seahawks prometem complicar muito a vida aos Cowboys.

SABER MAIS