O novo smartphone da Xiaomi é uma bomba de tirar fotografias. O Redmi Note 7, cuja linha passa a ter o estatuto de sub-marca da empresa chinesa, é uma solução de baixo custo com características topo de gama.

O novo dispositivo tem duas versões, uma base e outra intermédia, e o design é muito semelhante à versão low cost do Mi Play..

O grande trunfo na manga deste Redmi Note 7 é  sua super câmara dupla na parte traseira, com dois sensores alinhados verticalmente – o primeiro, fabricado pela Samsung, tem 48 megapixels e o segundo, de 5 megapixels. Traz ainda uma câmara frontal com o seu sensor de 13 megapixels no topo do ecrã. Conta com a integração de inteligência artificial (IA) para retocar a imagem e a opção de efeito de fundo desfocado, o chamado efeito bokeh.

O telemóvel tem também reconhecimento facial para desbloquear o ecrã LCD full HD+ de 6,3 polegadas, com uma resolução de 2340 x 1080 píxeis. Ocupa cerca de 84% da área do painel frontal, vem protegido com um vidro Gorilla Glass 5, da Corning. Já a bateria é de 4,000 mAh.

O processador é um Snapdragon 660, composto por 8 núcleos Kryo 260 com uma frequência máxima de 2.2Ghz. Na sua versão base, traz 3 GB de memória RAM e 32 GB de armazenamento interno; já na sua versão intermédia temos 4 GB + 64 GB e na sua versão de topo temos 6 GB + 64 GB.

Todas as versões trazem um cartão de memória microSD até 256GB para armazenamento extra. Está disponível em três cores: azul, rosa e preto.

Ao contrário do Redmi Note 7, a versão intermédia terá o sensor da Sony IMX586 de 48MP em vez do 48MP da Samsung. Os preços começam nos 127€ para a versão base com 3/32GB e o equivalente a 154€ com 4/64GB.

Este novo telemóvel inteligente ainda não tem data de chegada à Europa e o valor de comercialização, na China, andará à volta de 180€ para a versão com 6GB/64GB.