Ainda longe vão os dias em que deixaremos de fazer títulos em que os negros fazem algo pela primeira vez. Até lá, vamos mesmo continuando a dar destaque a coisas que para o mundo em geral não tem importância, mas que para a comunidade negra significam pequenos passos em direção à igualdade.

Há um ano sob os comandos de Edward Enninful, a Vogue britânica de setembro dá-nos uma sessão de fotos épica de Riri. Por trás de cada imagem, há um remeter imediato para o outono que está quase à porta.

Esta é a 12.ª capa da Vogue estrelada por Rihanna, contudo há algo simbólico a assinalar. Nenhuma dessas capas foi uma edição de setembro. Aliás, nunca uma edição de setembro da famosa revista de moda recebeu um cover girl negra. Apenas para sublinhar: são 102 anos de revista em terras da Rainha Isabel II.

O feito não passou despercebido à artista: “Estou muito honrada por estar na capa da sua primeira edição de setembro com a Vogue britânica, @edward_enninful Obrigado por me considerar!”, escreveu Rihanna no Instagram.

Ainda há mais. Beyoncé também foi fotografada para a edição do mesmo mês mas para a versão norte-americana. Por Tyler Mitchell, um fotógrafo negro. Em 126 anos de história é a primeira vez que a capa é da autoria de um fotógrafo negro.

A cantora negociou e obteve o direito de escrutínio sobre o seu conteúdo, relata o Huff Post. E assim, Bey escolheu Mitchell para a imortalizar na capa da edição mais esperada da revista.

Segundo a imprensa internacional, esta edição da Vogue poderá marcar uma viragem nas próximas escolhas editoriais da publicação.