Durante a semana passada a Apple anunciou que concluiu a compra do Shazam, uma das aplicações de música mais populares e usada por centenas de milhões de pessoas à volta do todo o mundo, e com uma cotação alta no mercado e na bolsa.

De acordo com o vice-presidente da Apple Music, Oliver Schusser, o “Shazam foi uma das primeiras apps disponíveis quando lançamos a App Store e tornou-se numa aplicação favorita para os fãs de música de todos os lugares ” o vice-presidente acrescentou ainda que “com um amor compartilhado por música e inovação, estamos entusiasmados em reunir nossas equipas para oferecer aos usuários ainda mais maneiras incríveis de descobrir, experimentar e curtir música.”

O Shazam permite que os seus usuários identifiquem músicas que estão a tocar à sua volta apenas com um clique na app. Com a compra da Apple, a aplicação será livre de anúncios para que todos possam aproveitar o melhor do Shazam sem interrupções.

O processo de compra teve início em dezembro de 2017, mas por motivos de investigações da União Europeia (UE) ficou suspensa temporariamente. O objectivo da UE era analisar o acordo e verificar se não se tratava de um monopólio (uma fusão de várias empresas juntas para dominar determinada oferta de produtos ou serviços).

Dez meses depois a Apple, confirmou a compra da aplicação no valor total de 400 milhões de dólares, de acordo com o site The Verge.