Ser naturalmente feliz é uma das grandes qualidades de qualquer ser humano, mas também pode levar à bancarrota. Diz a ciência num estudo que teve como base uma amostra de três milhões de participantes.

Foi feita uma pesquisa publicada pela instituição de ensino superior Columbia Business School, nos Estados Unidos e University College London, no Reino Unido, que concluiu que as pessoas mais simpáticas apresentam um maior risco de abrir falência ou de enfrentar mais dificuldades económicas do que “os seus pares menos agradáveis”.

Sandra Matz, professora catedrática, docente na Columbia Business School e co-autora do estudo, afirma que “estes resultados ajudam-nos a entender um fator potencial subjacente à incidência de problemas financeiros, o que por sua vez pode impactar seriamente no bem-estar dos indivíduos”.

Vários métodos foram utilizados para a realização deste estudo e para a recolha de dados dos três milhões de participantes, como painéis online, um inquérito a nível nacional e informação pública. Anteriormente, já haviam sido feitas pesquisas que alertavam existir uma correlação entre amabilidade, baixos rendimentos e mau crédito.

As pessoas mais afáveis não têm problemas financeiros porque não sabem negociar, mas sim porque, de acordo com os investigadores, não se preocupam o suficiente com dinheiro.

Claramente, nem todos os indivíduos serão afetados monetariamente. Mas as pessoas que tenham rendimentos baixos correm um maior risco de experienciarem problemas financeiros adicionais, porque não tem dinheiro suficiente que compense o impacto detrimental de serem afáveis.

Um facto curioso dito pelos especialistas – já que defendem que o nível de simpatia logo na infância é um indicador de confiança capaz de medir o índice de dificuldade monetária vivenciado na idade adulta.

Os dados recolhidos, alguns são provenientes de indivíduos observados durante mais de 25 anos, de modo a estabelecer uma relação entre os dois fatores.

Os dados financeiros utilizados pelos investigadores foram de duas áreas do Reino Unido, com rendimentos por capita parecidos. A área onde foram localizados os indivíduos mais simpáticos, foi igualmente identificada como aquela com uma taxa 50% maior de falência.