Racismo, xenofobia, preconceito, violência são o centro da auto-biografia do apresentador e humorista sul-africano Trevor Noah.

Noah nasceu em Joanesburgo, em 1984, é comediante, guionista e apresentador de televisão, sendo o sucessor de Jon Stewart no famoso Daily Show norte-americano.

Sou um crime. Nascer e crescer no apartheid conta a história do sul africano na primeira pessoa e chega às livrarias portuguesas no dia 16 de novembro.

As histórias são apresentadas em 18 ensaios com humor, uma história dramática em pleno regime do apartheid, onde Trevor faz uma declaração de amor à mãe. O livro foi publicado em 2016 nos Estados Unidos da América e tornou-se rapidamente num best-seller e, agora, semanas antes do Natal, chega-nos pela editora Tinta-da-China.

Trevor Noah vive nos Estados Unidos desde 2011 e é considerado pela revista Time uma das 100 pessoas mais influentes do mundo.

Na altura do apartheid entre 1948 a 1994, não era possível os relacionamentos inter-raciais devido ao regime de segregação racial, logo os filhos dessas relações eram considerados crimes, que é o caso de Trevor. Filho de um homem branco e uma mulher negra, o “mulato” viveu escondido nos seus primeiros anos de vida, para que as autoridades não soubessem da sua existência. Caso contrário, poderia ser retirado da sua família e os os pais condenados a uma pena de cinco anos de prisão.

A obra retrata bem o percurso de Noah, numa realidade da qual ele não era parte integrante: sentia-se deslocado tanto nas zonas dos brancos como nos subúrbios dos negros. Trevor enquanto criança não viveu, sobreviveu as atrocidades criadas pela “genialidade do apartheid” que foi convencer uma população que constituía a esmagadora maioria do país a virar-se contra si mesma”.

Para além da história de vida e de um percurso que não teve piada nenhuma, este livro foi descrito pelo The New York Times como um livro que “é mais do que isso – é uma carta de amor à excecional mãe do autor”. A tristeza de uma vida é contada em sorrisos e soluços entre as gargalhadas proporcionadas pelo comediante.

Publicado em vários países, este livro, o primeiro do autor, vai ser adaptado ao cinema, com a atriz Lupita Nyong’o (atriz de origem queniana vencedora do Óscar de Melhor Atriz Secundária pelo seu papel em “12 anos escravo”, de 2013) no papel de mãe do protagonista.

Para além deste livro, Trevor Noah já gravou vários especiais de ‘stand-up’, como “Afraid of the dark”, o mais recente, disponível na plataforma Netflix.

Sou um crime. Nascer e crescer no apartheid já se encontra disponível para pré-venda por 24,90€.