Depois de se tornar o primeiro fotógrafo negro a fotografar para a Vogue, Tyler Mitchell abre portas a outros fotógrafos negros, que também querem expressar o seu talento e  ser representados nas maiores empresas editoriais.

São fotógrafos novos, mas extremamente talentosos, que tentam desafiar a hegemonia masculina branca que tem dominado o mundo da moda desde sempre.

Campbell Addy é conhecido pelo seu trabalho de fotografia e filme com a Nii agency e Niijournal. O estudante, que vive em Londres, tenta sempre explorar problemas de fortalecimento e representação social. Para além de fotografar para algumas das melhores marcas editoriais, também discute assuntos relacionados como políticas de género, religião e saúde mental.

A post shared by Campbell Addy (@campbelladdy) on

O trabalho de Ronan Mckenzie celebra a beleza das coisas simples e naturais. Mckenzie nasceu e cresceu no leste de Londres, onde ainda reside e trabalha. Para ela,  a diferença é a força motivadora do seu trabalho de que tanto se orgulha. Mesmo trabalhando para a i-D, Marques Almeida ou Marieyat Ronan tenta sempre manter o mesmo conceito em todos os trabalhos que tem feito, que é criar imagens poderosas enquanto documenta as pessoas com que vai se cruzando.

A post shared by Ronan Mckenzie (@ronanksm) on

Depois de desistir dos estudos universitários, no ano passado, Abdourahman Njie investiu todo o seu dinheiro do empréstimo estudantil em câmeras e material fotográfico, e assim começou a fotografar amigos, mas também pessoas que vai conhecendo nas ruas de Londres.

O objectivo de Njie é criar conteúdo que comunique cruamente a fragilidade, o orgulho, a arrogância e a força dos seus modelos. Ele explica numa entrevista dada recentemente à Yellow zine que, mesmo tendo contrato assinado com a Nii Agency, continua a honrar a sua abordagem inicial, e tem continuado a fotografar pessoas do mundo ao seu redor.

A post shared by YAGAMOTO (@yagamot0) on